Um roteiro de viagem para uma Cusco mais vegetariana do que se imagina

Oba, chegamos em Cusco! Na nossa viagem até agora, comemos muito bem em Lima, e nos divertimos muito em Ica. Agora é hora de aproveitar o clima frio das montanhas e se preparar para Machu Picchu.

Cusco é um lugar muito especial. Ficamos 4 dias inteiros lá. Sugerimos ficar no mínimo 5 ou 6. Curta o máximo que puder dessa cidade. As lojas, museus, praças, igrejas, sítios arqueológicos, cafeterias,… Além disso, tem uma oferta de restaurantes vegetarianos riquíssima (por isso a brincadeira no título). Continuar lendo

Anúncios

15 descobertas veganas em viagem a Santiago com belas paisagens do Chile

Depois de uma viagem a Bonito, no Mato Grosso do Sul, com muito cerrado, mata atlântica, grutas e rios no interior do Brasil (veja aqui como foi aqui), e uma rápida passagem pela histórica e colorida Recife, resolvemos encarar uma metrópole sul-americana e muita neve! E sem dúvida nos garantiu um dos melhores destinos até agora, que você pode acompanhar aqui!

O Chile é para ser apreciado em mais de uma viagem. Espremido entre o Pacífico e as cordilheiras dos Andes, garante uma das viagens mais diversificadas e belas de todo o continente. Escolhemos dar atenção a Santiago, com visitas aos vinhedos de seu entorno e a cidade litorânea de Viña del Mar a beira do Pacífico; e como é inverno, subir até Valle Nevado para esquiar. O centro de Santiago nos oferece museus, prédios históricos, parques, lojas e restaurantes vegetarianos. As Cordilheiras dos Andes podem ser vistas enquanto se anda na rua até o metrô. Foi tudo maravilhoso, e assim conseguimos registrar um roteiro incrivelmente bonito, divertido e gostoso para compartilhar com vocês!

O QUE FIZEMOS:

Centro de Santiago:

O centro de Santiago é muito bonito. Dá pra fazer muita coisa a pé, ou de metro. O metro lá é muito bom, e usamos muito. Você pode comprar um cartão de passagem, o Bip, e ir recarregando nas máquinas.

centro (1)

Casa macabra no Barrio Paris-Londres

centro (5)

As “folhas de inverno”.

centro (2)

Como era inverno, colocam roupas nos cães nas ruas.

centro (3)

Essa está castrada. Dava pra sentir os pontos.

centro (7)

Sempre pedem carinho.

Parque Forestal e Museu de Bellas Artes:

Bem próximos a estação Bellas Artes do metro. Lá nesse parque encontramos casinhas feitas para os cachorros que ficam por lá.

museo bellas artes e parque forestal (3)

museo bellas artes e parque forestal (4)

museo bellas artes e parque forestal (2)

museo bellas artes e parque forestal (1)

cao e bellas artes

Cerro Santa Lucia:

Na entrada é preciso assinar apenas o nome e número da identidade, para controle da segurança, mas é gratuito. É muito lindo, com castelinhos, capelas e uma linda vista da cidade e cordilheiras. Em frente a saída tem um mercado de artesanato.

DCIM100GOPRO

cerro santa lucia (2)

cerro santa lucia (3)

cerro santa lucia (4)

cerro santa lucia (5)

cerro santa lucia (6)

Cerro San Cristobal:

O ponto mais alto de Santiago! Basta saltar na estação Baquedano e seguir em frente com as Cordilheiras a sua direita (elas estão sempre a Leste. Uma boa dica para se localizar). Fica a um quilômetro da estação, a caminhada é gostosa, o bairro é bonito, tem um mercado de artesanato no caminho e muitos bares interessantes. Chegando lá, é só comprar ingresso ida e volta no funicular que levará até o alto. A vista é sensacional. O horário ideal para ir é a tardinha para pegar o por do sol lá encima, e depois descer o funicular vendo a cidade com as luzes acesas. Lindo!

cerro san cristobal (3)

cerro san cristobal (4)

cerro san cristobal (5)

cerro san cristobal x

Vinícola Concha y Toro:

Essa vinícola é a mais turística do Chile, e a maioria dos visitantes são brasileiros. Você pode visitar outras menores, mas se gostar dos vinhos da Concha y Toro como nós, que adoramos o Casillero del Diablo, faz todo sentido conhecer. Se você entende um pouco de vinhos e de inglês, vale a pena escolher a visita guiada em inglês para estar em um grupo menor. Os grupos de visitação em português são de aproximadamente 20 pessoas. Nós escolhemos em inglês, e ficamos com apenas mais cinco pessoas.

A vinícola é linda, o guia foi muito espirituoso, eles são muito pontuais, as explicações são bem básicas, e tem uma história divertida na parte subterrânea onde ficam os barris e a adega privativa da família.

conhca y toro (1)

conhca y toro (3)

É preciso agendar antes a visita pelo site, e lá você escolhe o horário e o tipo de tour. Escolhemos o tradicional por 2 motivos: o outro tem degustação de queijos e de vinho branco. O tradicional é apenas com degustação de vinhos tintos. A Concha y Toro usa gel de peixe na decantação dos vinhos brancos. Nos vinhos tintos não usam nada de origem animal. (Saiba mais sobre escolha de vinhos veganos aqui.)

Ah, para chegar, pegamos o metro e saltamos na estação Las Mercedes. De lá, já tem taxis aguardando as pessoas que vão para a vinícola.

Viña del mar:

Essa é uma charmosa cidade litorânea a uma hora e meia de Santiago, banhada pelo oceano Pacífico. Compramos as passagens de ônibus (ida e volta) na rodoviária próximo a estação Universidade de Santiago. Lá nas pedras da praia dá pra ver leões marinhos e pelicanos. Na cidade tem o Museo Fonck, o cassino, o Parque Vergara…

vina del mar (5)

vina del mar (4)

vina del mar (3)

vina del mar (2)

vina del mar (1)

Valle Nevado:

Queríamos muito esquiar e se jogar na neve, e Valle Nevado foi a mais indicada. Lá é para quem vai praticar esportes mesmo. Para quem tem a intenção de apenas estar na neve ou está com crianças, indicam a de Farellones. Para ir, contratamos tudo na SkiTotal: transporte, roupas, equipamentos e aula. Com a aula você já ganha o ticket de acesso a estação pela gôndola. Para quem nunca esquiou é fundamental fazer a aula. Não pense que é uma atividade indutiva. As instruções foram fundamentais para conseguirmos aproveitar e curtimos muito.

valle nevado (1)

valle nevado (3)

DCIM100GOPRO

 

Conheça também o La Chascona (casa de Pablo Neruda), Valparaíso e Cajón del Maipo.


ONDE COMER:

Santiago tem muitos restaurantes vegetarianos e naturais, ou bares com opções veganas. Como almoçaríamos apenas 3 dias lá, decidimos selecionar os 5 principais restaurantes conforme indicação dos próprios vegetarianos chilenos. Perguntamos na página do facebook Vegetarianos en Chile (Gracias!), e agrupamos os mais indicados. Ah, o interessante é que em Santiago, diferente do que estamos acostumados no Brasil, e principalmente no Rio de Janeiro, é que os restaurantes vegetarianos estão sempre abertos para o jantar! O valor fica em torno de CLP 5.000 por pessoa. Nos desculpem a falta de imagens de pratos típicos, mas não conseguimos ir em todos. Segue abaixo os mais recomendados.

TOP 5 RESTAURANTES VEGETARIANOS EM SANTIAGO DO CHILE

1. Vegan Bunker (vegano)

Restaurante novo, vegano, libertário, com preço justo e lindo!!! Saltamos na estação Santa Isabel e fizemos uma caminhada até ele. Essa é nossa maior indicação. Daria um post só para ele.

comida (4)

comida (5)

comida x (1)

Torta de laranja e chocolate.

comida x (2)

Algum prato hindu de grão de bico com leite de coco.

comida x (3)_1

Sanduíche de seitan.

2. El Huerto (gourmet)

3. Soju

Muitos pratos típicos, maioria vegano e baratos. Fica dentro da galeria Santiago, próximo a Basílica La Merced. No facebook eles divulgam o prato do dia. Reze pra ter o dia da chorrillada ou da parrillada vegana!

4. La planta maestra (vegano)

5. PuroVerde La Pica vegetariana

 

Além das indicações, encontramos mais esses:

Arte Vegetal

Tivemos a sorte de estar lá no Dia Int. do Completo Vegano. Completo é um hotdog, e no Chile eles comem com palta, que é um creme de abacate. A promoção desse dia era de 2 completos com refrigerante a apenas CLP 2.000. O Arte Vegetal é uma loja bem atrás da Torre Entel, que vende lanches e produtos vegetarianos, muitos deles veganos.

comida (2)

comida (6)

Empório Vegetal

A Empório Vegetal é uma lojinha vegana com muitos produtos e lanches, como salsichas, nuggets, pastel de choclo e as típicas empanadas. E até produtos cosméticos. Fica perto da estação Cumming.

comida (15)

 

Wok

Esse fast food oriental fica dentro do Mall Costanera Center e tem uma opção chamada Vegetable Fried com fettuccine de soja.

comida (8)

Zenzero

Também dentro do Mall Costanera. A Zenzero tem sorvetes de vários tipos, como orgânicos. E uma seleção enorme de sabores a base de água, sem lactose. É um dos sorvetes mais gostosos e cremosos que já provamos. Melhor que os da Freddo que provamos em Buenos Aires (veja aqui).

comida (7)

Carrinho Vegusta

Queríamos muito ter conhecido, mas não deu tempo. Fica dentro da Universidad Andres Bello (UNAB). Tem sanduíches que parecem ser maravilhosos.

Herbívoro

É um restaurante vegano, mas não conseguimos ir.

Fábrica de Pizza

Andando para o Cerro San Cristobal nos deparamos com essa. Legal encontrar isso ao acaso!

comida (14)

Hamburguer de soja na rua

Moça vendendo Hamburguesa de Soya próximo a saída no metro Baquedano em direção ao cerro. Passamos com pressa por ela, então não sabemos se é vegano, mas é a primeira vez que vemos hambúrgueres de soja sendo vendidos na rua com isopor.

Como água para chocolate

Tem Fajitas Vegetarianas no cardápio, que dá pra tirar o que for a base de leite. Bom pra de noite. Lota de turistas brasileiros.

Tropical (Vina del Mar)

Restaurante natural em Vina del mar, com hamburguer de soja. Quando chegamos, não tinha mais. É preciso confirmar os ingredientes do burguer e pão, e pedir sem queijo.

comida (9)_1

 

 

E mais uma novidade! Os endereços e direções vocês podem ver nesse mapa que fizemos e estamos disponibilizando aqui! Já fica muito mais fácil de se localizar e montar um itinerário, né!

Gostaram? Compartilhe com alguém que está planejando ir ao Chile. E aproveite para ver nossas outras viagens aqui no site. Conhece Santiago e tem mais dicas? Divida conosco comentando aqui. Até a próxima!

 

Alguns grupos de Direitos Animais no Chile:

Animal Libre http://www.animallibre.org/

UAA – Unión de Amigos de los Animales http://www.uaa.cl/

Homo Vegetus http://www.homovegetus.cl/

Elige Veganismo http://www.eligeveganismo.org/

Asociacion de ayuda a caballos abandonados http://www.asociacionwinston.org/

Anima Naturalis Chile http://www.animanaturalis.org/home/cl

No más viviseccion http://www.nomasviviseccion.cl/

 

Fotos: Vegetariando Por Ai – http://www.vegporai.com

Não chores por mim Argentina – Dia 5 e último!

Buenos Aires, 7 de Janeiro de 2012.

Esse dia já amanheceu com um gostinho de saudade dessa cidade, pois era o nosso último dia. Mas não deixamos isso nos abater, que ainda tínhamos mais um ponto turístico super importante, o Cemitério da Recoleta. Então, tomamos o café da manhã do hotel, cheio de kiwis, cerejas, melões e melancias, e corremos para pegar um taxi!

Finalmente, estávamos lá, em nossa segunda tentativa de encontrá-lo aberto, a nossa disposição.Um lugar único na América latina, com uma arquitetura impressionante. É um passeio exótico caminhar entre caixões e mausoléus contendo corpos centenários e outros não tanto, e todos de famílias tradicionais e personalidades como presidentes e a própria Evita Perón. Isso nos faz lembrar que matéria é apenas matéria, o que fica é realmente o que construímos em vida. Mas ali, o mais interessante, ao contrário do túmulo dessa grande mulher, que é muito simples por sinal, são as belíssimas esculturas de arcanjos, querubins e rosáceas, cada uma com seu significado, como a de proteger os que ali descansam em paz.

Uma surpresa foi encontrar um mausoléu com as fotos de toda a família ali sepultada e entre elas, a do cachorro, demonstrando que ele realmente fazia parte da família. Muito digno e respeitoso. Uma sepultura que nos chamou a atenção, foi a da Liliana Crociati de Szaszak (1944-1970), jovem de 26 anos. O túmulo foi projetado por sua mãe no estilo gótico. Adjacente à tumba, há um “pódio” de pedra com uma estátua em tamanho real de Liliana. Após a morte do cão de estimação da moça, Sabú, “seu fiel amigo”, o artista esculpiu uma estátua do cachorro e a pôs ao lado da estátua de sua tutora, cuja mão resta acariciando a cabeça do animal. Foi um passeio muito interessante.

Na volta, almoçamos novamente no Pic Nic. A diferença é que antes sempre chegávamos lá na hora do lanche, e já não estavam mais servindo refeições. Dessa vez, bem no horário de almoço, o lugar estava cheio! Pedimos os risotos da casa. Um com tofú e outro ao curry. E surpreendentemente eles conseguem ser bons não somente nos lanches rápidos, mas também nos pratos. Não pedimos a salada, mas pareceu ser uma ótima pedida para os dias de sol intenso. Também aproveitamos para experimentar os sucos que apesar de parecer ser industrializado por virem engarrafados, são de produção da casa e 100% orgânico. Adoramos o de laranja com gengibre!

Após o nosso último prato, conseguimos ir bem calmamente para o aeroporto. A volta foi deliciosa, poder relembrar cada história nos caminhos. E quem sabe um dia voltemos para experimentar os outros restaurantes que não achamos ou simplesmente para rever os que adoramos.
DSCF3212

Adiós, querida Buenos Aires! E até o próximo destino, amig@s!

.

Buenos Aires Oriental – Dia 4 de 5

Buenos Aires, 5 de Janeiro de 2012.

Começamos o dia comprando mais um ticket para o Bus Turístico porque ainda tinha muito a ser visto e o tempo estava passando muito rápido. Depois disso, como todo bom vegetariano fomos em busca de novos restaurantes. Os alvos foram o Onda Verde e o Sattva, que ficam um ao lado do outro, na Montevideo com a Corrientes. Para a nossa infelicidade o Onda Verde passou o ponto e o Sattva estava fechado para férias.

Resolvemos segurar a fome e seguimos para o nosso roteiro do dia, tínhamos que aproveitar a cidade ao máximo. Começamos pela Manzana de las luces, que por ser muito cedo, estava sem turista algum! A vontade era de ficar o dia inteiro, curtindo a sombra e a música ambiente. Saindo de lá caminhamos para os pontos mais corriqueiros: obelisco, casa rosada, plaza de mayo, teatro colón e nossa, fiquei sem ar só de lembrar! rs

Depois desse tour express fomos para uma parada no MALBA (Museu de Arte Latino Americana de Buenos Aires), com entrada a 25 pesos. A Daniele estava ansiosa para encontrar com a Frida, portanto, apesar da pressa do Tiago, consideramos uma parada super importante para apreciar grandes pintores latinos, entre eles os brasileiros (com muito orgulho) Tarsila, Portinari e Di Cavalcanti. Foi de arrepiar.

De lá, visitamos o lindo Jardim Japonês (15 pesos para entrar). Além de lindo ele têm um restaurante. E antes que pensem algo, sim, restaurante japonês tem opções veganas! Qualquer dia desses publicaremos um post sobre isso. =)

A opção sem carne mais comum é o yakisoba de legumes. Mas geralmente a massa do macarrão leva ovos. Você pode se certificar perguntando se a massa é de sêmola ou com ovos. Entre as opções realmente veganas encontramos: sushi vegetariano (vegetarians rolls) e kappamaki. É legal almoçar observando o jardim, mas isso tem um alto preço e uma fila de espera que talvez não sejam recompensadores.

Saindo do Jardim, o nosso planejamento era seguir para o Cemitério da Recoleta, mas essa parada  era bem próxima a Universidade de Direito, ao Museu de Belas artes (com entrada gratuita) e a Floralis Genéris, que é um monumento impressionante!  Agora sim era hora do tão esperado Cemitério da Recoleta. Tudo encaixaria bem, se não fosse uma surpresa nada grata: ele fecha as 17h e chegamos 10 minutos depois. Aproveitamos então para ir novamente na Freddo e deixamos o cemitério para o dia seguinte.

Ao anoitecer, demos uma bela sorte no nosso penúltimo dia, pois pegamos Buenos Aires no dia de reis e deu para ver alguns fogos na Ponte de la Mujer, na charmosa Puerto Madero. E é engraçado como até os fogos deles são mais silenciosos que os nossos! rs. Eram mais luzes e menos barulho.

Dia demReis

Vale a pena aproveitar o clima noturno da ponte, uma leve brisa e ficar sentado olhando e relaxando com a paisagem. Mas a noite argentina realmente começa muito tarde. Era 1:00 da manhã quando saímos da ponte e as casas noturnas não estavam nem esquentando. Somente vimos a fila da matine! rsrsrs O dias estavam corridos e preferimos ir descansar para aproveitar o último dia!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Buenos Aires colorida – Dia 3 de 5

Buenos Aires, 4 de Janeiro de 2012.

O restaurante Talusi, na Florida com Av Marcelo Alvear, em uma Galeria bem na Praça San Martin está fechado. Fomos então ao restaurante Granix, na Galeria Guenger, na Florida. Ele é grande, não mais que o PicNic, mas é um restaurante no estilo “pague e coma a vontade” (a 46 pesos) ovo lacto vegetariano, que resolveu “compensar a falta de carne” com ovos e leite. Não há pratos veganos, a não ser que você fique só na salada. Muito injusto. Realmente, tamanho não é documento. Não valeu nem foto. Fica a recomendação de não perder o tempo indo lá.

Nossos estômagos foram salvos visitando novamente o Pic Nic no final da tarde. Pedimos os outros sanduíches do cardápio e um alfajoreo.

Turismo:

Nesse último dia de Bus Turísticos queríamos aproveitá-lo com o Caminito .O lugar é lindo e além de ser super acolhedor é um ótimo lugar para comprar lembranças. Mas pesquise. Há muitas coisas iguais com preços diferentes. As lojas do começo da rua costumam ser malis caras. Fica a dica.

O show de tango nas ruas é um espetáculo. Os dançarinos são super simpáticos e para quem quiser se aventurar eles dão aulas nas ruas que rendem muitas risadas.

Fomos ao Museu de Cera do Caminito. É cobrado 17 pesos para olhar um pequeno corredor de bonecos de cera. Não nos agradou. Tem algumas informações da cidade, se vc estiver com tempo de sobra pode ser um lugar a mais, mas não é fundamental.

Para fechar o dia decidimos comprar mais um dia de Bus Turístico, pois dois dias não foram suficientes para aproveitar tudo.  Então, no terceiro dia tínhamos que passar pelos pontos que faltavam. Aguardem o próximo post, pois está cheio de dicas de lugares e mais comida, é claro! =)


DICA EXTRA:
Não vale a pena comprar o pacote de roaming da TIM. Em Buenos Aires vende em bancas de jornal um cartão “Habla Mais Internacional” por apenas 10 pesos ou 30 pesos e vc fala por 20 minutos em média.

Buenos Aires de tango e futebol – Dia 2 de 5

Buenos Aires, 3 de Janeiro de 2012.

Dica: Compramos um bilhete de 48 horas no Bus Turístico, que fica na Florida com a Corriente. A melhor coisa a se fazer quando se está pela primeira vez na cidade. Você viaja tranquilo por praticamente todos os pontos importantes. Pode fazer o trajeto completo ou parar em um dos pontos e esperar outro Bus, eles passam em média de 20 em 20 minutos. Então se você quer utilizar o Bus Turístico, esteja com pesos (eles só aceitam essa forma de pagamento) e chegue no ponto de compra cedo para você não ficar ticket!

Nesse primeiro dia de passeio no Bus Turístico, passamos muito tempo no La Bombonera, pois fizemos questão de fazer visita guiada e aproveitar bem o estádio. Foi muuuuito legal ver todos os detalhes, saber das histórias, passar pelo gramado, grade, arquibancadas… O Bombonera e o time Boca Jrs têm muitas peculiaridades.

Almoçamos no Restaurante Bio em Palermo Velho. Andamos muito para encontrar o restaurante, mas valeu muito a pena. Ele é bem pequeno e charmosinho. Não é vegano, pois está caracterizado como restaurante natural, é orgânico. Possui ovos e leite no cardápio, mas a maior parte é vegana.

Apesar da apresentação do prato ser simples, o que se sente ao degustá-lo é algo surpreendente. Os sabores são incríveis. Vale pedir a sobremesa de torta crudívora de chocolate com framboesas. Realmente nos surpreendeu. Em média o total deu 70 pesos por pessoa.

DICAS:

Na Florida há muitos agentes que vendem pacotes de shows de Tango pela cidade. Essa foi uma ótima oportunidade, pois os valores que pesquisamos pela internet estavam muito mais caros, e o que compramos aqui tivemos orientação para a escolha da casa de Tango e ainda com translado para ir e voltar. Compramos um pacote apenas com o show, sem o jantar e bebidas liberada, que custaria apenas o dobro, porém não sabíamos se lá teria opções veganas, e realmente não tinha, só as saladas. Mas até valeria a pena pelas bebidas. Pagamos a parte o vinho que nos acompanhou no show.

Escolhemos uma casa tradicional em Buenos Aires, tombada como patrimônio cultural da cidade, e que tem uma apresentação mais clássica do Tango. O show foi lindo, encantador e divertido, valeu muito a pena.  O legal de ir no serviço de van deles é conhecer o pessoal que vai também, todos no mesmo clima! Conhecemos uma galerinha asiática que pediram foto (vide no slide show) e um casal de cearenses super animados! Show com translado foi 150 pesos.

Hola, Buenos Aires – Dia 1 de 5

Buenos Aires, 2 de Janeiro de 2012.

Entre ponte aérea, check-in, informações tortas, troca de moedas e etc; o primeiro dia acabou sendo corrido. Mas enfim chegamos em um sonho que estava no nosso planejamento há 2 anos pelo menos. A viagem a dois foi divertida e estávamos empolgados!

Lanchonete Pic Nic

Com toda pressa não daria para procurar um restaurante para almoçar, então acabamos indo em um fast-food e foi surpreendente! Pic Nic, restaurante vegano de 3 andares, bem localizado, decoração lindíssima e cardápio diversificado entre lanches, refeições, sucos orgânicos , frappes, entre outros.

Pedimos sanduíches bem diferentes com papas fritas, um frappe e um suco mistureba. Sinceramente, não lembro exatamente de que era nada. Só me lembro da delícia que era!

Veg Burguer no Pic Nic

É na Calle Florida, bem no Centro da cidade. Gastamos em média 50 pesos por pessoa.

Calor de BA e a Freddo

Deixe o que é ruim para trás! 😉

No final da tarde, como Buenos Aires está quentíssima nessa época, paramos na Freddo, sorveteria tradicional Argentina! Eles possuem opções sem leite! É só perguntar. Não necessariamente todos os de fruta são veganos. No primeiro dia que pedimos, as opções eram o de limão e o de morango. Em um outro dia, o de morango tinha leite e a opção vegana era o de maracujá. Uma delícia sem igual!Aguarde para os próximos posts dos dias seguintes com muitas dicas!

Este slideshow necessita de JavaScript.