Não chores por mim Argentina – Dia 5 e último!

Buenos Aires, 7 de Janeiro de 2012.

Esse dia já amanheceu com um gostinho de saudade dessa cidade, pois era o nosso último dia. Mas não deixamos isso nos abater, que ainda tínhamos mais um ponto turístico super importante, o Cemitério da Recoleta. Então, tomamos o café da manhã do hotel, cheio de kiwis, cerejas, melões e melancias, e corremos para pegar um taxi!

Finalmente, estávamos lá, em nossa segunda tentativa de encontrá-lo aberto, a nossa disposição.Um lugar único na América latina, com uma arquitetura impressionante. É um passeio exótico caminhar entre caixões e mausoléus contendo corpos centenários e outros não tanto, e todos de famílias tradicionais e personalidades como presidentes e a própria Evita Perón. Isso nos faz lembrar que matéria é apenas matéria, o que fica é realmente o que construímos em vida. Mas ali, o mais interessante, ao contrário do túmulo dessa grande mulher, que é muito simples por sinal, são as belíssimas esculturas de arcanjos, querubins e rosáceas, cada uma com seu significado, como a de proteger os que ali descansam em paz.

Uma surpresa foi encontrar um mausoléu com as fotos de toda a família ali sepultada e entre elas, a do cachorro, demonstrando que ele realmente fazia parte da família. Muito digno e respeitoso. Uma sepultura que nos chamou a atenção, foi a da Liliana Crociati de Szaszak (1944-1970), jovem de 26 anos. O túmulo foi projetado por sua mãe no estilo gótico. Adjacente à tumba, há um “pódio” de pedra com uma estátua em tamanho real de Liliana. Após a morte do cão de estimação da moça, Sabú, “seu fiel amigo”, o artista esculpiu uma estátua do cachorro e a pôs ao lado da estátua de sua tutora, cuja mão resta acariciando a cabeça do animal. Foi um passeio muito interessante.

Na volta, almoçamos novamente no Pic Nic. A diferença é que antes sempre chegávamos lá na hora do lanche, e já não estavam mais servindo refeições. Dessa vez, bem no horário de almoço, o lugar estava cheio! Pedimos os risotos da casa. Um com tofú e outro ao curry. E surpreendentemente eles conseguem ser bons não somente nos lanches rápidos, mas também nos pratos. Não pedimos a salada, mas pareceu ser uma ótima pedida para os dias de sol intenso. Também aproveitamos para experimentar os sucos que apesar de parecer ser industrializado por virem engarrafados, são de produção da casa e 100% orgânico. Adoramos o de laranja com gengibre!

Após o nosso último prato, conseguimos ir bem calmamente para o aeroporto. A volta foi deliciosa, poder relembrar cada história nos caminhos. E quem sabe um dia voltemos para experimentar os outros restaurantes que não achamos ou simplesmente para rever os que adoramos.
DSCF3212

Adiós, querida Buenos Aires! E até o próximo destino, amig@s!

.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s